CENTRO DE APOIO A MULHER A CRIANÇA E O ADOLESCENTE VÍTIMAS
DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E SITUAÇÃO DE RISCO



 

Quem somos

1440_Sakura.jpg

A Organização Social de Saúde Casa de Isabel é um Centro de Apoio a Mulher a Criança e o Adolescente Vítimas de Violência Doméstica e Situação de Risco.

  Nossa organização está localizada no extremo leste da Capital, no bairro do Itaim Paulista, tida como uma região extremamente violência.

  Tendo uma população com pouco mais de 300.000 mil habitantes, nos quais com baixo poder aquisitivo. 

  A Sede da Organização está localizada à Rua: Professor Zeferino Ferraz, nº 486, CEP 08120-380, Itaim Paulista, Zona Leste, São Paulo-SP, Capital, inscrita no CNPJ sob o nº 04.488.578.0001-90.


Experiências Sociais Desenvolvidas pela ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE SAÚDE CASA DE ISABEL


DECRETADA A UTILIDADE PÚBLICA MUNICIPAL- DECRETO Nº 42.339 EM 29/08/2002.

DECRETADA A UTILIDADE PÚBLICA ESTADUAL- DECRETO Nº 51.021 de 02/08/2006.






Nossa História


   A Casa de Isabel, Entidade Filantrópica, sem fins lucrativos de Direito Privado e de Interesse Público, cujos objetivos são defender os cidadãos Vítimas de Violência Doméstica e Familiar, bem como a Situação de Risco (pessoal e social), em especial a Mulher, a Criança, o Adolescente/Jovem, Adulto, Idosos, Pessoas com Deficiências e a Família, de maneira continuada, como rege o ECA, Estatuto do Idoso, SUAS, LOAS e PNAS. 

   Nosso trabalho surgiu da organização das Mulheres Vitimizadas atendidas pelo trabalho desenvolvido a mais de vinte cinco anos.


   Nos últimos anos, a sociedade tem se mostrado sensível a estas questões, criando iniciativas públicas e privadas tais como: delegacias e hospitais especializados, organizações de Defesa dos Direitos da Mulher, da Criança e do Adolescente, Centros de Referência do Idoso, Fundos Públicos e privados de Amparo Assistencial, bem como, de Organizações Religiosas e da Sociedade Civil.


   Apesar de todos estes esforços, não se observa a diminuição destes casos de violências cometidos contra a Mulher. As últimas estatísticas demonstram um sensível aumento nos casos de Violência Doméstica e Familiar, que atinge todas as classes sociais. Sensibilizadas com a negligência com que a questão da Violência de Gêneros é tratada, buscamos construir um espaço alternativo onde fossem traçados Programas e Projetos de Políticas Públicas eficazes no atendimento ás Vítimas do Silêncio.


   Neste sentido, desde 1996 mobilizamo-nos através de reuniões, encontros e palestras e decidimos sobre a necessidade de criar uma Organização que nos representasse, bem como, a seus filhos e a Família, e que pudesse ser um Centro de atendimento permanente ás Mulheres, Crianças, Adolescentes/Jovens e a Família, em Situação de Violência Doméstica e Vulnerabilidade Social, neste momento histórico para nós nasce “ O PROJETO CASA DE ISABEL ”.


   A nossa Sede esta localizada na região do Itaim Paulista, zona leste da Capital, tida como uma das mais violentas de São Paulo, tendo uma população de mais de 300.000 mil habitantes, nos quais com baixo poder aquisitivo.


  As Violências contra a pessoa têm como causas históricas os desajustes das relações humanas. Este desequilíbrio se propaga em diversas situações, entre as quais se destacam: a má distribuição de renda, o desemprego, a impossibilidade estrutural de ascensão social, o consumo de bebidas alcoólicas e outras substâncias entorpecentes. Todos estes fatores ocasionam um profundo desajuste no comportamento do homem, fazendo com que esta Violência Social Reprimida manifeste-se violentamente no seio familiar.


 Esta situação tem atingido diferentemente Homens e Mulheres, estas, no entanto, têm assumido progressivamente a chefia de suas famílias, o que acarreta uma sobrecarga de trabalho e responsabilidades, podemos dizer, que, exercem a dupla, tripla (em alguns casos) jornadas de trabalho, até porque, após saírem de seus trabalhos, os afazeres domésticos continuam de uma forma ininterrupta.


   A região é extremamente carente de equipamentos público (escolas, creches, EMEIS, UBSs, entre outros...), inexistindo assim, locais para deixar seus filhos, razões pelas quais nossas crianças têm por hábito ficar nas ruas, estando em situação permanente de risco a mercê da sorte.


   Estas situações infelizmente vêm engrossando às estáticas de abandono que vive a sociedade dos excluídos...